domingo, 4 de dezembro de 2011

JAWA-CZ



segunda-feira, 7 de novembro de 2011

MÁRIO FERRO


Mário Guilherme Ferro,um «Fenómeno» que apareceu na época de 1984.
Mário Ferro acabou por conquistar o 2ºLugar do campeonato Nacional de 125cc,com apenas 21 anos e duas meias épocas no «Cross».
Começou nos Juniores em 1983 e em 1984 fez a sua primeira época nos Séniores.
A sua paixão pelas motos começou cedo e com uma Casal de duas velocidades a fazer umas brincadeiras.
Depois tirou a carta e comprou uma kawasaki. A dada altura a moto avariou-se e levou-a ao Carvalho.
Nessa altura o José Carvalho já corria no «Cross» e começaram a conversar.Passado algum tempo começou a ir com ele para a pista do Alto da Guerra com a moto que tinha,que não era de todo,ideal para o «Cross».
A evolução foi rápida e positiva,dando logo nas vistas e o titulo de vice-campeão.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

PILOTO JOSÉ TORRES/MOTO TORRES

Podemos ver nas imagens abaixo o piloto José Torres com as máquinas da Moto Torres, feitas artesanalmente pelo Pai,Sr.Bernardino Torres.





sábado, 6 de agosto de 2011

sexta-feira, 29 de julho de 2011

3 HORAS DE PICUA



ABILIO FERNANDO GANHOU AS 3 HORAS DE PICUA.

Organizado por um grupo de jovens Portuenses, realizou-se na Quinta da Picua (Porto) uma "prova de resistência de três horas para motocicletas". É, por assim dizer, uma reacção do Norte perante o marasmo e a indiferença a que parece votado o nosso motociclismo, e que aqueles jovens se recusam a aceitar, sozinhos e a titulo particular, tentam praticar o seu desporto favorito. Assim, nas 3 Horas de Picua, prova de resistência para motociclistas, reuniram-se 24 concorrentes e um público numeroso e entusiasta (todos convidados) que não se cansou de incitar os esforçados desportistas, cem por cento amadores. O conhecido ‹‹Nan¡››, um dos favoritos, esteve presente numa Flândria, mas partiu um segmento e foi obrigado a desistir. A prova tornou-se, assim,fácil a Abílio Fernando, que,numa Sachs Dúnia 5 v, completou 111 voltas. Uma das fases mais interessantes da corrida foi, sem dúvida, a sensacional recuperação de Luis Filipe, que, apesar da adversidade, ainda conseguiu cobrir 107 voltas.Dado o aumento de popular¡dade e a envergadura que este género de provas está a tomar,pensam os jovens organizadores e concorrentes lançarem-se em maiores ‹‹voos››. É inegável que o seu esforço merecia o apoio de alguém qualificado e com possibilidades de realização. Porque não a Federação?-CLASSIFICAÇÃO FINAL: Abílio Fernando, Sachs Dúnía 5 v (1.° cl. C), 111 voltas ; 2.°, Luís Fílipe-Jorge Andresen -Honda 5 v (2.°cl. C) 107;3º Avelino Rocha-Antonio Tavares,Sachs V5 (3 cl.C) 106 voltas.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

PISTA DE LEÇA DO BALIO



NANI E A SUA "JAWA"





Nani no seu estilo inconfundível,um piloto de eleição.


OS PRIMEIROS CAMPEÕES NACIONAIS MOTOCROSS



Acabou o l.° Campeonato de Portugal de Motociclismo que a Federação Portuguesa da modalidade levou a efeito, devidamente patrocinada.Estes foram os Primeiros Campeões Nacionais de Motocross,decorria o ano de 1969.

sábado, 2 de julho de 2011

Manuel do Amaral


Manuel do Amaral tinha a sua oficina no Paiço em Lavra.Começou por aprender mecânica indo com frequência às fábricas como a Casal,Famel e mais tarde a Sachs.
Mas sempre teve gosto pelas corridas e decidiu adquirir uma Stamir. Essa Stamir era essencialmente para ver o que o Sr.Miranda fazia no cilindro para este o copiar ou até tentar melhorar.
E assim foi, essa máquina correu mas o motor Casal de 5vel. que vinha equipado com ela não ajudava, principalmente a caixa.Então aproveitando a montagem equipou-a com um Zundapp,o que melhorou muito o andamento. O motor Sachs ainda era para alguns uma miragem.
Tentou sempre melhorar os seus conhecimentos indo inclusive a Vigo,para buscar algum material e também conhecimento principalmente da motos DERBI,que na altura tinham boas máquinas de Motocrosss.
Aproveitando ainda a Stamir também copiou o quadro e mandou fazer alguns para uso das suas máquinas e outros ainda chegou a vender.
Depois arranjou um motor Sachs e começou a equipar as suas máquinas.
Mas quando teve uma boa máquina não tinha piloto a altura acabando por desistir das corridas.
Guarda boas recordaçôes desse tempo,admirando como pilotos o Antonio Rodrigo e depois mais tarde José Carvalho que diz que nunca tinha visto ninguêm a andar em 50cc como ele.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

domingo, 13 de março de 2011

TACIANO GUIMARÃES

Manuel Taciano Gouveia Ferreira Guimarães,nasceu em General Machado-Angola,no dia 11 de Maio de 1954. Iniciou as competições em 1973 na classe de 50cc em Angola,vindo para Portugal em 1977 para no mesmo ano,começar a correr no Campeonato Nacional em 125cc conseguindo o honroso 2ºlugar no final do mesmo campeonato.
Os pilotos nacionais que mais admirava era Adriano Lopes pelo seu desportivismo e Bernardo Ferrão pelo seu nível.
O piloto estrangeiro que mais admirava era o Roger de Coster. As pistas que mais gostava era a de Raposa em Santarém e a dos Lençóis S.Pedro, em Lordelo.


RODRIGO RIBEIRO

Rodrigo António D.Ribeiro,nasceu em Padrão d´Altar no dia 21 de Janeiro de 1955.Iniciou-se no motocross com uma Casal-EFS numa prova pirata,disputada em Prozêlo (Penafial) no ano de 1974.Tendo nessa prova acontecido um caso curioso,Rodrigo Ribeiro curtou a meta simultâneamente com um outro concorrente e oito dias depois fizeram o desempate na mesma pista,tendo a vitória final pertencido a Rodrigo Ribeiro.
A pista que mais gostava era a de Guilhufe (Penafiel).O piloto Nacional que mais admirava era José Santos e o piloto estrangeiro era o Heikki Mikkolla.
Os pilotos Nacionais que mais temia eram o Silva Pinto e o Mário Kalssas.
As marcas de motas com que correu foram:Husqvarna 125 e 250cc,Simonini 125cc e Casal-EFS e Montesa 250cc.
O momento mais feliz foi a Vitória em Guilhufe no inicio do campeonato de 1978,já que quando comandava a prova caiu e perdeu a primeira posição,tendo a poucas voltas do fim retomado essa posição para não a mais perder.
Havia mais dois irmãos de Rodrigo Ribeiro que corriam motocross, mas que deixaram de participar em provas pois diziam que eles o ajudavam a vencer.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

FERNANDO LEITÃO

Fernando Leitão,foi Campeão Nacional em 1981.Para comprovar que esse título não aconteceu por mero acaso,nada melhor que o segundo lugar obtido em 1982,a 5 pontos do campeão.
Em termos de material,também não é,de modo algum,o melhor apetrechado.Atendendo à sua regularidade e rapidez,termina,normalmente,entre os primeiros.
Em 1982 pontou nas seis corridas do Campeonato.Venceu as duas primeiras,foi quinto na Cortelha e segundo nas restantes três.
Será bom realçar que,na Cortelha, a pior classificação obtida,se ficou a dever a um problema mecânico,surgido na sua máquina.


terça-feira, 18 de janeiro de 2011

MIGUEL ROMÃO

José Miguel Magro Romão dos Santos Dias,nasceu em 08 de Março de 1960 em Coimbra.
A primeira moto com que competiu foi uma Gilera 50cc,em Algueirão (Pista da Barrosa) em 1975, com a Organização do Almerindo Ribeiro da Cruz.
A Gilera foi preparada pelo próprio,mantendo o motor original,mas bastante melhorado.O quadro foi reforçado e foi aplicada uma forqueta Ceriani e uns amortecedores Koni.O carburador foi utilizado um Dellorto com um filtro de ar maior.
O depósito e os guarda-lamas eram em fibra de vidro , feitos pelo próprio.
Em dez anos fez mais de 200 corridas,houve anos em que tinha corridas 3/4 vezes por semana,da Primavera até ao Outuno.
Gostava de todas as pistas técnicas com saltos naturais ( a pista onde ganhou mais vezes foi em Montejunto ).Os pilotos nacionais que mais gostava eram:José Santos pela forma fluida de condução e também Fernando Neves e o Rodrigo Ribeiro pela forma de conduzir, sobretudo pela força bruta e resistência que tinham, pois esta adaptava-se mais às pistas Portuguesas.
O piloto Internacional que mais admirava era Roger DeCoster e mais tarde David Bailey.
Em 1978 foi convidado a montar a 1ª equipa profissional de Motocross Nacional – Team Goldoni. Em 1981 montou a equipa – Team Laranjina C

Campeonatos :
1978 - Campeão Regional Sul 50cc - Puch Cobra
1978 - Campeão Regional Sul 125cc - Montesa Cappra VB
1978 - Campeão Nacional Junior 50cc - Puch Cobra
1978 - Campeão Nacional Junior 125cc - Yamaha YZ
1979 - Campeão Nacional Senior 50cc - Puch Mc Professional e Sachs ARC ( na ultima prova )
1983 - Representou Portugal na Taça das Nações na Suiça – Roggenburg – 125cc
1984 - Representou Portugal na Taça das Nações na Checoslovaquia – Dalecin – 125cc
Nota : 1984 foi o ultimo ano que existiu a Taça das Nações no formato único 125cc, a partir desse ano as 3 classes passaram a correr no mesmo dia.
Participou em 8 provas do Mundial de 125cc em 1982 , 83, 84.